É possível inovar na gestão financeira? Tendências para 2019

Os modelos de serviços tradicionais estão se reinventando e, com a gestão financeira, não seria diferente. Todos os dias, novas startups surgem no mercado, oferecendo soluções inovadoras para desburocratizar os processos e as vidas das pessoas, seja no papel de clientes, consumidores, profissionais ou gestores.

Isso ocorre também no setor financeiro, apesar de ser uma área tradicionalmente mais conservadora. As chamadas fintechs – startups que oferecem serviços financeiros – estão provocando uma transformação profunda na relação das pessoas com o dinheiro.

Neste artigo, mostraremos que é possível inovar na gestão financeira. Para inspirar você, reunimos 15 tendências que serão fortes em 2019. Confira!

15 tendências de gestão financeira para 2019

1. Taxa de juros mais altas nos EUA

As taxas de juros mais altas vão impactar positivamente no crescimento e na lucratividade das instituições financeiras. A afirmação, registrada no site da Forbes, foi feita por Gabriel Grego, administrador da Capital Quintessential, empresa especializada em gerenciamento de investimentos, nos Estados Unidos. O especialista acredita que o aumento na taxa de juros será uma forte tendência para o próximo ano.

2. Aumento do crédito comercial

A tecnologia aplicada na transparência das análises de crédito facilitarão o processo de aprovação, tornando os procedimentos de análise e aprovação mais rápidos e menos burocráticos.

O histórico de informações de consumo, concessão e quitação de créditos para empresas ficam armazenados em sistemas unificados. O acesso se dá por meio de soluções que avaliam os dados e analisam qual o potencial de uma empresa cumprir ou não com um crédito concedido.

A automação torna o processo mais ágil e eficaz, mesmo com o aumento de solicitações e aprovações de crédito para as empresas.

3. Consultor biônico

Por meio de soluções automatizadas, a promessa é que as operações na Bolsa de Valores se tornem praticamente automáticas. Ou seja, que não dependa da intervenção humana. Por meio da tecnologia de bots, os clientes poderão configurar seus robôs para que eles façam e acompanhem seus investimentos.

4. Produtividade e automação

Atividades diárias e repetitivas se tornarão mais simples, eficientes e precisas com softwares de automação de escritório. As informações necessárias para a operação serão geradas e analisadas por pré-configurações de sistemas. A intervenção humana se faz necessária em momentos mais estratégicos, valorizando o tempo dos profissionais de TI.

5. Inteligência Artificial

A inteligência artificial já está mudando o mercado financeiro e em 2019 sua aplicação nos negócios será ainda maior. Os algoritmos inteligentes são capazes de tomar decisões que vão ajudar a reduzir custos e oferecer novas possibilidades para os clientes e investidores.

6. Bancos que são startups ou fintechs

Os jovens não querem ir aos bancos resolver seus problemas financeiros. Por isso, muitos jovens têm sua primeira experiência com um banco digital e não tradicional. Assim como nas universidades houve a implantação de sistemas de atendimento, os bancos farão parcerias com startups e fintechs para estarem cada vez mais próximos desse público. As agências e terminais serão instalados nesses locais de trabalho.

7. Simplicidade e transparência

O público está cansado de lidar com termos complexos e que não serão utilizados em suas rotinas. Por isso, têm procurado por soluções simples de entender. Nesse fluxo, bancos e empresas financeiras vão se dedicar, cada vez mais, a explicarem ao seu público como lidar com suas finanças.

Já estamos vendo um aumento nos conteúdos de blog e canais no YouTube referentes a esse tipo de assunto. Isso mostra que não há falta de interesse do público. O que falta são informações claras e explicadas de forma simples sobre o mercado financeiro e a economia doméstica.

8. Consultores por honorários

A procura por profissionais que possam orientar e auxiliar os clientes em seus processos de investimento também vai aumentar. O número de pessoas interessadas em investir, principalmente no exterior, tem aumentado.

A tendência é que mais consultores autônomos surjam no mercado. Esse profissional será capaz de orientar pessoas que querem começar a fazer seus primeiros investimentos ou buscar fontes de renda em outros países.

9. Fintechs

O número de fintechs está crescendo e será ainda maior. Esse modelo de negócios desenvolve soluções para desburocratizar os processos. Uma fintech pode oferecer os mesmos serviços de um banco: concede empréstimo, cartão de crédito, vende seguro, entre outros. Porém, contam com uma estrutura menor, mais barata e eficiente. As fintechs estão transformando a gestão financeira e forçando grandes empresas a se adaptarem às novas exigências do mercado.

10. Customer Experience

O conceito de customer experience tem como objetivo garantir que o cliente terá uma experiência positiva com o seu banco. Isso quer dizer que a instituição financeira não vai oferecer produtos e serviços que não são adequados ao perfil daquele cliente ou de acordo com os seus interesses, previamente mapeados.
Por meio de uma coleta e armazenamento de dados sobre os hábitos de investimento e despesas do cliente, o banco tem acesso às informações que vão ajudá-lo a criar experiências personalizadas para cada perfil de cliente. As ferramentas de Big Data Analytics são utilizadas nesse processo de captura, armazenamento e processamento dos dados.
Além disso, uma série de treinamentos são realizados com as equipes para que possam sempre oferecer um atendimento mais humanizado, confiável e seguro.

11. Rede Neural

A rede neural é uma tecnologia que usa inteligência artificial e é baseada no sistema nervoso humano. Suas unidades são capazes de processar dados de forma individual ou interligada, com a máxima eficiência e gerenciando grandes volumes de dados. O objetivo é avaliar as informações de maneira rápida e precisa.
Na gestão financeira, a rede neural reduz os custos da operação e diminui o tempo entre os processamentos. Pode ser aplicada em diferentes aspectos, como análises de crédito, análises de risco operacional, entre outros.

12. Blockchain

O blockchain é uma solução de envio e registro de transações com moedas virtuais, como o Bitcoin, por exemplo. Por meio da tecnologia, as moedas virtuais circulam com agilidade, economia e transparência, sendo mais eficiente do que muitos modelos tradicionais.
O uso do blockchain tem sido comum e deve ser cada vez maior nos pagamentos internacionais, transferências instantâneas e sem intermediadores, para o mundo todo.

13. Moedas digitais

Novas moedas digitais foram criadas e ficaram conhecidas por causa do bitcoin. A criptomoeda mais famosa, até o momento, passou por diversos altos e baixos, como valores de compra altíssimos e foram usadas até em transações criminosas. Apesar disso, diversos mercados estão vendo o potencial da solução e, por isso, criaram regulamentações para controlar o uso. Por enquanto, apenas o Japão avançou neste quesito, mas o futuro é que outros países definam suas regras e regulamentações para que o bitcoin e outras moedas virtuais possam ajudar a movimentar a economia e facilitar as transações.

14. Governança de dados

Novas soluções para garantir a governança de dados de alta qualidade serão cada vez mais cobradas das empresas de tecnologia. A falta dessa prática dificultam o desenvolvimento de tecnologias avançadas, como a análise preditiva e a inteligência artificial.
O funcionamento adequado das novas tecnologias de gestão financeira só será alcançado quando a arquitetura de dados for moderna e estiver combinada com as práticas de governança do seu setor.

15. Métricas

As empresas ainda estão muito focadas em métricas de produtos, como o número de clientes, taxa de adoção, receita, etc., porém não se atentam às métricas de gerenciamento de dados. São essas informações que poderão ajudar na abordagem de questões fundamentais da governança de dados e questões críticas da entrega. Saber o tempo dedicado à implantação de aplicativos ou atualizações revelará o custo que as empresas estão tendo em seus processos.

Conclusão

O mercado continuará caminhando em busca de soluções que facilitem a vida de seus clientes. Nesse sentido, as empresas deverão investir em tecnologias que favoreçam a automatização de seus processos internos. Com isso, retornará um atendimento melhor, mais próximo e atento ao cliente.

Afinal, de nada adianta investir em tecnologias de ponta, se o cliente não é atendido como deseja. Olhar para o seu público, identificar as suas necessidades e buscar alternativas para atendê-las são tendências de gestão financeira que se repetirão por muitos anos.

CTA_pack_conteudos