Sua empresa tem uma análise de crédito segura?

Uma análise de crédito segura é fator determinante para obter sucesso nos negócios, independentemente do seu segmento de atuação. Afinal, a ocorrência de pequenas falhas nesse processo pode gerar prejuízos, estresse e muitas dores de cabeça com os índices de inadimplência.

Quer saber se a sua empresa conta com uma análise de crédito segura? Confira agora nosso passo a passo completo para avaliar os processos de fornecimento do seu negócio:

Os 6 Cs do crédito

Para saber se você deve ou não conceder crédito a determinado cliente, é essencial que a empresa tenha uma visão exata de quem é aquela pessoa. Pensando nisso, é preciso levar em consideração diversos aspectos para traçar um perfil certeiro de sua clientela.

Quando o assunto é crédito, muito se ouve sobre os 6 Cs recomendados para uma boa avaliação. Você sabe quais são esses conceitos? Conheça em detalhes cada um dos Cs determinantes para uma avaliação de crédito segura, conforme o SEBRAE:

Caráter

É a personalidade do cliente, seu comportamento no mercado, seu grau de confiabilidade, seu envolvimento em processos judiciais ou em questões antiéticas etc. Em resumo, a análise do caráter mostrará a predisposição do cliente para pagar dívidas.

Um analista de crédito hábil saberá intuir isso em uma entrevista “olho no olho”. No entanto, esse profissional deve contar com mais do que a própria intuição: é preciso fazer uma pesquisa objetiva, consultando registros de instituições financeiras, órgãos de proteção ao crédito, cartórios e até mesmo sites de reclamações na internet.

Em tempos em que tudo está disponível no meio digital, uma simples pesquisa no Google pode revelar muito!

Capacidade

Este C mede a capacidade do cliente de conduzir os negócios com eficiência, gerando resultados positivos e garantindo o pagamento das dívidas. Mas como analisar essa capacidade com segurança?

Simples: por meio de uma avaliação de seu fluxo de caixa histórico e projetado, que revelará o nível de endividamento que o cliente pode assumir. Ao fornecer demonstrativos financeiros que mostram, principalmente, sua liquidez, o cliente provará sua capacidade de honrar compromissos.

Assim, a falta de registro contábil de seu faturamento integral prejudica o cliente, uma vez que impossibilita a comprovação de receitas — fator que não reflete sua capacidade real de pagamento.

Capital

Indica o potencial financeiro do cliente quando os negócios não andam bem. Quanto maior o capital, mais altas as chances de permanecer no jogo.

O capital fornece a garantia de que o cliente tem potencial para encarar períodos de fluxo de caixa negativo. A situação patrimonial do cliente reflete seu potencial financeiro. A avaliação do capital é feita por meio de análise do montante de débitos, índices de lucratividade e de liquidez.

Aqui, mais uma vez, a falta de contabilização acurada de ativos e passivos implica em comprovação inadequada do real patrimônio do cliente, prejudicando uma análise de crédito favorável.

Colateral

O próximo C da lista representa o total de ativos disponíveis como garantia. Quanto maior a qualidade e o montante dessas garantias, maior a segurança na concessão do crédito.

Em outras palavras, “Colateral” é o que vai responder à pergunta “o que acontece se o cliente não tem fluxo de caixa suficiente para honrar suas obrigações?”.

O valor colateral atua como uma garantia complementar de que as dívidas serão pagas mesmo em caso de falência. Isso inclui bens tangíveis como equipamentos, propriedades, produtos em estoque etc.

Condições

As condições relacionam-se com o cenário macro da economia, levando em conta as variáveis que afetam a performance profissional do cliente.

Um analista de crédito precisa verificar se o cliente apresenta vantagens competitivas e se seus negócios não serão seriamente afetados pela imprevisibilidade do mercado.

Assim, uma análise de crédito segura também envolve análise das condições empresariais e econômicas de seu cliente diante das tendências do mercado.

Conglomerado ou Coletivo

Analisando a viabilidade da concessão de crédito a um cliente cuja empresa é parte de um grupo, estenda a análise a esse grupo.

Isso evitará equívocos, como negar crédito a uma empresa isolada por não apresentar garantias suficientes para assumir uma dívida, enquanto o grupo ao qual pertence é sólido e financeiramente saudável.

Como fazer uma análise de crédito simples e segura

A análise de crédito de sua empresa pode ser melhorada com a ajuda de algumas dicas práticas. Veja abaixo as principais delas:

Entenda que nem todo negócio é um bom negócio

Na ânsia de conseguir mais lucro, muitos empresários acabam caindo no erro de conceder crédito a clientes que não são necessariamente confiáveis. Essa é uma atitude a ser superada, pois nem toda transação de compra é benéfica para o seu negócio.

Lembre-se sempre que a concessão de crédito serve para movimentar o fluxo de caixa de sua empresa. Logo, caso o cliente não pague as parcelas, a saúde financeira do seu negócio será afetada.

Além disso, não receber por aquele serviço que oferece não é o sonho de nenhum empresário. Por essa razão, é preciso fazer um estudo detalhado de cada cliente e avaliar quais possuem o perfil que a empresa busca.

Não tenha medo de desencorajar aqueles negócios que a empresa considerar que tem mais chances de não serem pagos, uma vez que o não pagamento dessas contas trará mais problemas do que benefícios.

Tenha requisitos mínimos para seus clientes

Toda liberação de crédito é, na realidade, um voto de confiança que uma empresa dá ao seu cliente. Essa atitude não pode ser oferecida a esmo: é importante que o negócio trace estratégias e requisitos básicos que o cliente pode cumprir em ordem de se qualificar para receber o benefício.

Nesses requisitos, podem constar itens como renda da empresa a partir de uma determinada quantia, para garantir o pagamento do crédito disponibilizado. A fim de saber quais são as melhores medidas a tomar, faça uma avaliação de seus clientes já existentes; veja os que pagam suas contas em dia e determine qual seria o perfil de pagador de cada um.

Reuniões para delimitar esses parâmetros com a equipe são uma ótima forma de estipular essas regras. Essa prática diminuirá, e muito, as chances de ter clientes que não pagam as suas dívidas.

Capacite seus funcionários

A chave para que qualquer negócio funcione bem é que tenha bons funcionários. Para a liberação de crédito, esse aspecto continua sendo importantíssimo.

Treine seus colaboradores para que estejam preparados para identificar apropriadamente os clientes em potencial, bem como aquelas empresas que não trariam bons frutos para o negócio.

Saiba quais documentos solicitar

Para fazer uma boa análise de crédito, é importante ter em mãos os documentos de PJ necessários a verificação. Peça comprovantes de faturamento da empresa, além de dados sobre o empreendedor. Vale a pena atentar-se para checar a situação do cliente no Serasa e na Boa Vista.

Utilize a tecnologia a seu favor

Soluções em software são extremamente favoráveis e podem ser customizadas segundo as necessidades da sua empresa. Com um software automatizado, você conta com um serviço impessoal, respeitando suas próprias políticas de crédito e sem nenhuma interferência humana — ou seja, não há o risco de manipulação de resultados.

Hoje, já existem softwares que fazem consultas no Boa Vista e no Serasa sobre a situação credencial do cliente, de forma ágil e automatizada. Dessa forma, todos os processos são céleres, reduzindo tarefas manuais e custos operacionais, viabilizando uma gestão efetiva e bastante segura da carteira de clientes.

Como você viu, o ganho em eficiência e em segurança advindo da automação é altamente compensador. Quer saber mais sobre análise de crédito e outras práticas capazes de garantir a segurança do seu negócio? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades e soluções tecnológicas que compartilhamos aqui no blog!

Deps Tecnologia


eBook: VENDENDO MAIS COM A GESTÃO DE CRÉDITO