Segundo um levantamento realizado em abril de 2022, a Serasa estimou que existam 6,1 milhões de empresas com dívidas em atraso no Brasil, o que representa cerca de 43,8% de todos os CNPJs registrados no país. As pequenas e médias empresas são a enorme maioria nesse número (80,9%). Tais números acendem um alerta, pois sabemos que a inadimplência é o principal risco à sustentabilidade de qualquer negócio.

No caso das empresas que vendem diretamente a outras empresas – o chamado modelo “Business-to-Business” ou “B2B”, o risco é ainda maior, devido ao volume das transações e ao alto nível de alavancagem dessa clientela específica. 

Em um cenário como esse, é extremamente importante analisar todos os potenciais parceiros comerciais, para evitar eventuais perdas ou até mesmo maiores problemas futuros.

E aqui não importa se a sua empresa irá conceder crédito a um novo cliente ou vender para um comprador habitual.

O ideal é o que o mesmo rigor seja aplicado a cada transação, pois até mesmo empresas com bom histórico podem vir a passar por problemas financeiros, tornando-se, assim inadimplentes – mesmo sem a intenção de “não pagar” em quem quer que seja.

Além do score do CNPJ, também é importante avaliar dados cadastrais e o comportamento de regresso da empresa. Só assim um negócio pode evitar os maus pagadores e vindo a aumentar a segurança das suas relações comerciais.

image

Fazer isso ao modo tradicional implica analisar, de forma analógica, milhares de dados, o que não seria humanamente viável – nem em termos de tempo, nem no que diz respeito à confiabilidade da análise.

Por isso, é essencial contar com uma análise de crédito B2B automática, ampla, atualizada e altamente confiável.

Onde encontrar uma ferramenta com essas características? É o que mostramos no post de hoje, ao apresentarmos o Deps Smart, uma solução inovadora para quem procura relatórios de análise de risco e de crédito online de forma rápida e inteligente.

Quer saber mais sobre essa tecnologia? Então, vem com a gente!

O que a sua empresa pode fazer com a Deps Smart?

Deps Smart é uma ferramenta de análise de crédito da Deps, desenvolvida especialmente para atender às necessidades B2B e imprimir muito mais agilidade e segurança às transações comerciais com clientes desse perfil.

Com o Deps Smart, é possível consultar a situação atualizada de CNPJs, além de outras informações que abrangem:

– dados cadastrais em geral- e-mails e telefones

– ramo(s) de atividades

– quadro societário

– eventuais participações em outras empresas.

Por meio da compilação dessas informações, são gerados relatórios de análise de risco e de crédito que oferecem muito mais precisão aos negócios.

Além disso, os dados estão concentrados em um único ambiente, ou seja, a ferramenta não precisa de nenhum outro provedor externo.

Para que você tenha acesso à informação com rapidez e segurança, o Deps Smart concentra 100% da análise de crédito dentro da própria tecnologia Deps. Vejamos a seguir outras características da ferramenta.

Consulta prática

O Deps Smart é ágil e fácil porque oferece acesso à tecnologia Deps e a todos os seus recursos. Funciona de forma online, abrangendo lista de informação citadas anteriormente. Isso permite uma análise de crédito de maneira ampla, atualizada e altamente confiável.

Cadastro rápido, completo e organizado

Com o Deps Smart, a análise de crédito é feita de forma completa, recorrendo a dados acessados diretamente da Receita Federal. Assim, a sua empresa passa a contar com automação e organização, facilitando suas pesquisas internas com a categorização de clientes.

Sugestão de limite de crédito e faturamento presumido

A consulta traz já uma sugestão de limite de crédito, além de um relatório com os dados listados anteriormente. Com a informação de faturamento presumido utilizada pelo Deps Smart, você pode formar ou melhorar a sugestão de limites de crédito do cliente. Essa é uma alternativa confiável em caso nos quais há uma ausência de informação de histórico de pagamentos de provedor.

A técnica em questão baseia-se no cruzamento de diversos dados de outras empresas do mesmo perfil. São levados em conta dados como segmentos, quantidade de funcionários, regime tributário, região, sócios, idade da empresa, dados econômicos, entre outras informações, tudo para gerar um relatório de análise de risco o mais confiável possível.

Quer levar a ferramenta Deps Smart para a sua empresa e finalmente implementar uma análise de crédito B2B ampla, atualizada e altamente confiável?

Compartilhe também, esta importante informação em suas redes sociais e ajude a informar outras empresas sobre os principais pontos relacionados à segurança de dados e regulamentações necessárias com a vigência da LGPD! 

A Deps fornece a ferramenta ao mesmo tempo em que oferece todo o suporte de que a sua empresa precisa nessa área.

Pense nisso!

Quer conferir mais conteúdos como esse?

Abaixo temos um material completo sobre como você pode higienizar os seus dados na sua empresa! 

22

A Deps está além da análise de crédito e queremos que a sua empresa tome as melhores decisões do mercado.

Para não perder os próximos conteúdos, aproveita a sua visita ao nosso blog e segue as nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram, YouTube e Linkedin.

Até mais! Simone Silvano

Quem trabalha com cobrança sabe da importância de ter dados sempre atualizados. Afinal, nada é mais frustrante do que perder tempo entrando em contato com um número de telefone ou e-mail incorreto. Para que você possa agilizar o tempo da sua equipe, surge a higienização da base de dados.

Com dados mais precisos e uma base organizada, a sua operação irá se tornar muito mais eficaz, com tarefas mais ágeis e um time mais produtivo. Vem saber sobre o tema ao longo deste artigo!

O que é a higienização da base de dados?

A higienização da base de dados é um processo vital para todas as empresas. Aqui, é feito uma atualização de todos os dados cadastrais de clientes, leads, fornecedores e parceiros, fundamental para melhorar os processos de vendas, relacionamento ou ações de cobrança.

Como o registros dessas informações, muitas vezes, é feito sem o devido cuidado, o processo de higienização precisa ser feito periodicamente. Etapas como atualizar as informações, remover dados duplicados, inválidos ou inconsistentes, padronizar e organizar os dados registrados são algumas que envolvem a higienização.

Como o próprio nome sugere, é feito uma verdadeira limpeza em todo o banco de dados da organização. Isso vai simplificar as pesquisas e o trabalho dos seus colaboradores, tornando a rotina corporativa mais produtiva e eficaz.

Qual a importância da higienização da base de dados?

Existem diversos motivos pelos quais a sua empresa precisa fazer uma higienização da base de dados. A seguir, você encontra alguns deles.

1. Decisões assertivas e orientadas a dados

Quando se tem informações consistentes e verídicas, os processos internos que envolvem essas informações ganham uma maior velocidade. Ainda, as decisões dos gestores serão muito mais assertivas, pois terão dados concretos a sua disposição e análise.

2. Segurança da informação e prevenção de fraudes

Outro motivo muito importante para a realização da higienização da base de dados está na prevenção de fraudes e segurança da informação. Ao monitorar e verificar todas as informações da base é possível, por exemplo, cruzar determinado nome com CPF validando a compatibilidade dos dados.

image

3. Gestão financeira e análise de risco

Já para a parte financeira, essa higienização é fundamental, principalmente se você for atuar na parte de cobrança. Afinal, fazer um contato certeiro, sem perder tempo com números errados e busca do contato correto, melhora a produtividade e engajamento do setor.

4. Enriquecimento da base de dados

Por fim, o processo de higienização vai levar a um enriquecimento da sua base de dados. Isso porque ao realizar as buscas e consultas sem fontes para tratar e verificar as informações da base, acaba-se completando muitos dados que estavam incompletos.

Enriquecer os dados da sua base é uma atividade estratégica e competitiva, visto que agiliza todos os processos da sua operação e melhora a precisão das informações tornando as tomadas de decisão mais assertivas.

Como fazer a higienização da base de dados corretamente?

Agora que você já sabe o que é a higienização da base de dados e porque a sua empresa precisa realizar, que tal aprender a fazer esse processo na prática?

A nossa primeira dica é fazer limpezas periódicas em sua base de dados. Para isso, crie um cronograma e para garantir que todas as informações estejam sempre atualizadas.

Durante essa higienização, você encontrou algum dados incorreto ou que não seja mais útil? Faça a substituição imediata. Afinal, dados errados geram um retrabalho para toda a sua equipe.

Não esqueça de monitorar todas as informações que entram na sua base e de instruir seus colaboradores a terem um cuidado no momento da inserção dessas informações.

Esse processo pode levar algum tempo dependendo do tamanho da sua base. Porém, para torná-lo mais ágil, você pode contar com o apoio da tecnologia.

A Deps disponibiliza uma solução de higienização de base de todas totalmente informatizada, garantindo uma melhor performance estratégica. Com ela você vai:

  • Fazer a remoção dos dados duplicados, normalização das informações e padronização dos nomes;
  • Validar cadastros de clientes e fornecedores, por meio de acesso a base atualizada sincronizada em tempo real com Receita federal e Sintegra;
  • Encontrar telefones e e-mails, para realização de contatos de cobrança e validação cadastral;
  • Identificar grupos econômicos por meio de sócios, endereços, telefones em comum;
  • Evitar fraudes por meio de acesso a base histórica de empresas no endereço ou pelo sócio;
  • Análise de crédito de baixo custo, com o Deps Otimiza, que identifica se o cliente possui ou não restrição nos órgãos de proteção ao crédito.

Então, deseja ter esses recursos na sua empresa e aprimorar a sua gestão de crédito? Agende uma apresentação você vai se surpreender.

cta

Para não perder os próximos conteúdos, aproveita a sua visita ao nosso blog e segue as nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram, YouTube e Linkedin.

Até mais!

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Conceder crédito é uma tarefa bastante delicada. Afinal, uma decisão equivocada, como a concessão de crédito para o cliente errado ou liberar valores maiores que a potencial capacidade de pagamento que esse cliente terá no futuro, pode colocar toda a sua operação em risco.

Como prever o futuro não é algo simples, mesmo para analistas experientes e com anos de análise de crédito, surge a análise preditiva. com ela é possível prever com maior exatidão os valores a serem concedidos em crédito para os consumidores. Isso é realizado com base em informações de banco de dados da própria empresa, reduzindo riscos de inadimplência.

Desta forma, vamos abordar nesse post como melhorar sua análise de crédito, fazendo uso de previsão de dados para reduzir os riscos envolvidos na concessão de crédito para clientes novos e recorrentes.

Como a análise preditiva facilita a concessão de crédito?

Como o nome sugere, a análise preditiva tem por intuito prever as condições para conceder ou não crédito para um determinado cliente. Porém mesmo para os analistas mais experientes, pode ser uma tarefa árdua, já que envolve a coleta e cruzamento de muitos dados, das mais diversas fontes.

Devido a necessidade de análises profundas e com muitas informações, é necessário que a análise seja feita com muito cuidado, para reduzir o risco na concessão do crédito.

Mas como é feita a análise preditiva?

Para fazer a análise preditiva, hoje são utilizados artifícios computacionais, como Machine Learning e Big Data, para capturar a maior quantidade de informações possíveis no menor prazo e assim cruzar dados.

Com o cruzamento de dados e diversos algoritmos programados de acordo com as políticas de concessão de crédito da sua empresa, o sistema de análise preditiva verifica quais os riscos têm maiores chances de ocorrer no futuro com determinado cliente.

Assim, fica mais fácil determinar qual cliente tem potencial para receber crédito e quais os limites dessa concessão.

Melhorando o fluxo de concessão de crédito

Fazendo o uso de dados históricos com o Big Data e aprendendo constantemente quais os requisitos para conceder crédito com o Machine Learning, a análise preditiva não só reduz risco como melhora a assertividade de todo o processo.

Com aprendizado constante e a capacidade de análise de muitos dados em poucos segundos ou minutos, a análise preditiva diminui muito o tempo necessário para se obter informação se será concedido crédito ou não a determinado cliente.

Esse modelo de gestão, que faz uso da análise preditiva, faz com que se ganhe mais tempo livre para buscar novos clientes e favorece na melhora do relacionamento com o consumidor, pois as respostas da concessão de crédito são muito mais rápidas.

Outras vantagens da análise preditiva

Em muitos casos, os dados levantados para fazer uma análise de concessão de crédito levam em consideração apenas informações de curto prazo. Isso acaba deixando diversos dados históricos à parte, que normalmente tem um grande valor, por isso não consegue prever com consistência os riscos futuros.

Já a análise preditiva, faz uso de todo o histórico de dados para o cliente, verificando inclusive informações detalhadas do quadro societário e possíveis problemas com CNPJ associados. Afinal, isso pode aumentar o risco de conceder crédito, mesmo quando informações diretas de curto prazo mostram que se deve conceder crédito.

CTA horizontal 1

A análise preditiva, devidamente ajustada com as políticas de crédito da sua empresa determinam se deve-se conceder crédito ou não, limites e possíveis riscos, gerando uma “nota” para o fluxo de análise vigente.

Desta forma, além de agilizar a concessão para novos clientes, fica mais fácil mensurar a tendência de pagamento e limites dos clientes já em carteira de crédito, com uso do menor tempo quanto possível, que em muitos casos são de segundos.

Por fazer análise em tempo muito curto, é possível liberar seus operadores da linha de crédito para fazerem mais atendimentos por dia, revisar mais informações de clientes mais vezes durante o período de concessão de crédito (isso pode ajudar a melhorar a qualidade da carteira de clientes) e buscar novos clientes.

Análise reativa ou preditiva?

Essa é uma pergunta interessante, pois mexe diretamente com o fluxo de concessão de crédito da sua empresa. Enquanto na análise reativa você apenas verifica dados diretos de curto prazo sobre o cliente, com a análise preditiva muitos dados são utilizados para reduzir ao máximo o risco da operação.

Se você quer implantar uma plataforma de análise de crédito preditiva, rápida e consistente, entre em contato com um especialista da Deps, ele pode indicar a solução ideal para você.

Então, deseja ter esses recursos na sua empresa e aprimorar a sua gestão de crédito? Agende uma apresentação você vai se surpreender.

cta

Para não perder os próximos conteúdos, aproveita a sua visita ao nosso blog e segue as nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram, YouTube e Linkedin.

Até mais!

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

O termo recuperação de crédito ainda é o centro de muitas dúvidas entre os empresários, principalmente em momentos de crise. Esse processo é feito por empresas especializadas em conseguir o pagamento de dívidas de clientes inadimplentes.

Ainda, essas empresas realizam a compra de dívidas de bancos e financeiras, passando a ser as responsáveis diretas por essa cobrança. ficou com vontade de saber mais sobre a importância da recuperação de crédito e como ela funciona? Continue a leitura deste artigo e descubra.

Mas afinal, o que é recuperação de crédito?

De forma básica, a recuperação de crédito é um procedimento que tem o objetivo de reparar as inadimplências. Ou seja, fazer a empresa receber um valor que não foi pago por algum cliente.

Logo, a sua finalidade é oferecer suporte aos clientes inadimplentes para que consigam regularizar suas situações e façam novas compras em breve. Para a empresa, nada mais é do que receber um valor não pago, mas que já deveria estar em caixa.

Qual a importância da recuperação de crédito para as empresas?

Quando uma venda é realizada, a empresa passa a incluir o valor que será recebido em seu fluxo de caixa. Assim, quando ele de fato não ocorre e o cliente fica inadimplente, o caixa da companhia fica comprometido. Dessa forma ela está atrelada ao risco de inadimplência.

Portanto, ela passa a fazer parte da gestão de do negócio, independentemente do porte ou segmento de atuação. Isso porque receber ou não os créditos devidos por clientes inadimplentes exerce grande impacto na saúde financeira de toda organização.

Logo, a recuperação de crédito tem uma elevada importância, principalmente para as empresas de pequeno e médio porte, comprometendo inclusive seu capital de giro, que normalmente é mais baixo.

O passo a passo da recuperação de crédito eficaz

O momento da recuperação de crédito é bastante delicado e precisa ser realizado de forma planejada. Aqui, é importante tentar entender a situação pela qual levou o cliente a se tornar inadimplente e buscar, juntos, uma solução.

Logo, uma boa comunicação entre ambas as partes é essencial nesse processo. Quer saber a melhor maneira de conduzir esse procedimento? Confira o nosso passo a passo exclusivo.

Passo 1 – Aviso

Antes de mais nada, é preciso realizar uma comunicação franca e empática com o seu cliente. Sendo assim, faça contato por meio de telefone, e-mail ou cartas.

Aqui, o objetivo é entender e detectar a razão da inadimplência e o quadro financeiro do cliente em débito, valorizando sempre uma boa relação comercial.

Passo 2 – Negociação

O segundo passo da recuperação de crédito é a tentativa de negociação com o cliente que está em débito, tentando chegar a um acordo que seja bom para as duas partes.

Será necessário definir um prazo para o comprimento, alertando para possíveis riscos pela não realização, mas cuidando sempre para não afastar o cliente.

Passo 3 – Ações

Agora, se você já conversou e tentou negociar com seu cliente de forma amigável e nada disso deu certo, infelizmente você terá que partir para um processo judicial de recuperação de crédito.

Caso não queira recorrer às ações judiciais, você tem a alternativa de terceirizar a cobrança para negociar a dívida do seu consumidor.

Invista em uma ferramenta que acompanhe a recuperação de crédito

Para que você consiga realizar a recuperação de crédito de forma eficaz, além de seguir os passos acima, é preciso ter um sistema informatizado com dados em tempo real.

Dessa forma, você terá uma visão geral de toda a situação e das taxas de inadimplência do seu negócio.

Com as soluções Deps, você tem todo esse acompanhamento de forma facilitada, com atualizações imediatas, relatórios e auxílio em todas as etapas da negociação, desde a criação da melhor estratégia de aproximação até a possível negativação do cliente.

Aproveite e entre em contato para solicitar um teste gratuito da nossa ferramenta de recuperação de crédito.

Quer continuar por dentro das novidades do mundo financeiro? Continue acompanhando o blog da Deps. Não esqueça de seguir nossas redes sociais para não perder as novidades. Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn e Youtube.

Até mais,

Cristoffer Medeiros

CEO deps

Uma das principais dificuldades em manter uma empresa, especialmente em tempos de crise, é a inadimplência. Afinal, a demora para receber as vendas já efetuadas pode causar um problema grave de fluxo de caixa, prejudicando a saúde financeira da sua empresa. Para evitar esse tipo de situação, é necessária uma boa gestão de cobranças.

Na cobrança e na recuperação de crédito automatizada, o processo se dá por meio do fluxo de negociações e situações, com as regras de recuperação pré-estabelecidas na cobrança interna.

Você sabe do que o seu negócio precisa? Para evitar erros na gestão de cobrança da sua empresa, confira os 6 principais erros que costumam ocorrer nessa área e veja como evitá-los.

Vamos lá?

1. Falta de controle interno

Toda empresa precisa ter um entendimento completo sobre quais clientes estão inadimplentes, o montante da dívida de cada um e há quanto tempo esse valor está em aberto.

Desorganização administrativa é o maior vilão de um negócio e precisa ser derrotado antes de qualquer ação para diminuir a inadimplência. Caso o seu negócio ainda não tenha realizado esse mapeamento, esse é o primeiro passo a ser dado.

2. Não reconhecer a importância de controlar as cobranças

Para evitar problemas nessa área, é preciso haver um bom controle das obrigações a receber e dos prazos em que eles vencem. Isso geralmente acontece, mas quando um cliente atrasa, nem todas as empresas sabem como agir. Ter um cronograma estabelecido com as etapas de negociação e cobrança já ajuda os funcionários a encaminharem as faturas em aberto, evitando ainda mais atrasos.

CTA horizontal 1

3. Ausência de análise de crédito

Todo banco que se preze se recusa a emprestar dinheiro para pessoas endividadas. Por isso, não vai ser a sua empresa que vai entregar produtos do estoque para  clientes que estão devendo na praça, não é mesmo?

A melhor forma de evitar que isso aconteça é fazer análises de crédito do CNPJ através de programas de gestão de cobrança. Assim, você tem a opção de só oferecer crédito para aqueles clientes que realmente têm condições de pagar a mercadoria.

4. Baixa performance na gestão de cobranças

Infelizmente, mesmo com uma análise de crédito assertiva, as inadimplências acontecem. Se você já tem funcionários ou terceirizados responsáveis por fazer a cobrança desses clientes, é imprescindível que esse dinheiro esteja voltando para o seu caixa.

Por isso, uma boa gestão de cobranças vai além de identificar os clientes com problemas nos pagamentos. Ela é responsável por negociar e correr atrás das vias legais que possam trazer o seu dinheiro de volta. Quanto menor for o número de inadimplentes, mais o sistema está funcionando corretamente.

5. Não ter soluções de negociação

Um cliente que não quita uma dívida pode estar, muitas vezes, passando por dificuldades financeiras. Mais do que incentivá-lo a pagar a conta, é preciso ter estratégias que facilitem o pagamento, como opções de parcelamento, descontos e etc. É imprescindível que essas táticas para recebimento sejam estudadas para cada cliente, facilitando o recebimento da dívida.

6. Pensar que sabe tudo sobre gestão de cobrança

No mundo dos negócios, as informações se transformam rapidamente, especialmente com a entrada da tecnologia para ajudar a organização de diversos setores. Na gestão de cobrança, isso não é diferente. Por ser um fator que mexe diretamente no bolso das empresas, sempre existe alguém desenvolvendo algo novo para reduzir a inadimplência, e um bom empresário deve estar atento a essas novidades.

Sempre há uma forma de melhorar a produtividade e eficiência da gestão de cobrança, seja na eficiência da análise de crédito, em estratégias de negociação e até mesmo no relacionamento com o cliente, evitando que ele deixe de saldar suas dívidas. Estar aberto a esses novos conhecimentos pode fazer toda a diferença para a saúde financeira da sua empresa!

Seguindo alguns passos simples, é possível diminuir consideravelmente as taxas de inadimplência do seu negócio.

Então, deseja ter esses recursos na sua empresa e aprimorar a sua gestão de crédito? Agende uma apresentação você vai se surpreender.

cta

Para não perder os próximos conteúdos, aproveita a sua visita ao nosso blog e segue as nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram, YouTube e Linkedin.

Até mais!

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Imagine que durante uma semana extenuante de trabalho você decide todos os dias acordar sem despertador, mesmo tendo um à sua disposição. Estando progressivamente mais cansado, é natural supor que você não consiga acordar todos os dias no horário correto e acabe se atrasando.

Confiar apenas no seu destreinado ritmo cicardiano (uma espécie de “relógio biológico” internalizado), quando tem à disposição um apetrecho para ajudá-lo a ser pontual, é comparável ao que acontece em ter a automação de crédito à sua disposição e não utilizá-la.

Os seus analistas deixam de efetuar tarefas simples, como montar relatórios, consultar orgãos e sistemas e, ganham um novo foco, mitigando riscos e trabalhando de forma mais estratégica junto ao seu cliente.

Conheça a solução Deps que mais ajuda as empresas a se protegerem e a venderem mais.

Vamos lá!

Sobre a solução

As vantagens são evidentes: menos problemas, menos custos e mais eficiência; resultado: mais lucro e mais crescimento líquido.

CTA 02 03 2022

As ferramentas de automação permitem um auto regulamento dos mecanismos de funcionamento aplicados a uma dada área. Trata-se de delegar os processos automatizados, a administração da complexidade de certas tarefas.

Esse controle efetua as medições e introduz as correções que forem necessárias, sem a necessidade de uma constante interferência humana.

Portanto, a automação basicamente consiste em tornar os processos mais eficientes e reduzir a probabilidade de incidência de erros. Enquanto um funcionário leva 15 minutos em dada tarefa e erra 20% das vezes ao efetuá-la, o sistema automático gasta segundos e acerta 98%.

Sua empresa insiste em ignorar que as coisas, que foram perdendo o controle e retarda o investimento em tecnologias para te ajudar a lidar com essa realidade. Temos a solução certa para a sua empresa.

Com esse método antigo, você precisa manter a agilidade no processo de análise de crédito para um volume muito maior de vendas, o que é um passo essencial para o cumprimento de prazos.

Você, então, desloca mão de obra de outras atividades e faz com que ela dedique tempo a tomar todas as decisões do processo.

É claro que esse processo está mais vulnerável em relação às falhas humanas e sujeito a retrabalhos – e o “barato” acaba saindo caro. Algumas compras começam a ficar com aprovação pendente e a entraga atrasa, gerando reclamação no SAC e minando a sua relação com os clientes.

Sim, um processo não automatizado na esteira de vendas é muitas vezes sinônimo de atrasos e, numa reação em cadeia, de perda de clientes e perda de receitas.

Estrangulamento da esteira de crédito

A falta de automação pode levar a um estrangulamento da esteira de crédito. Um processo moroso, subjetivo é mais sujeito a erros. Trata-se de uma restrição que limita o crescimento da empresa.

Chamamos a atenção para o fato de que a gestão de crédito não se limita à mera aprovação ou negativação. Após a emissão de um parecer positivo de concessão de crédito, é preciso gerenciar esse teto inicial concedido, aumentando-o, ou mesmo diminuindo-o, dependendo do comportamento subsequente do comprador.

Muitas vezes, por excesso de zelo, as empresas não dão uma linha de crédito elástica aos clientes – o que por um lado reduz o risco, mas, por outro, restringe vendas. Isso só tende a acontecer precisamente como reflexo do fato de que as empresas estão inseguras em relação aos seus processos internos, quando geridos sem automação.

A tecnologia veio para ficar, então nada mais lógico que usá-la a seu favor! Hoje, existem diversos sistemas de software que tornam mais fáceis a vida dos empreendedores que buscam vender a crédito.

Nós temos a resposta: automatize seu processo para otimizar a análise de crédito!

As maiores empresas de sucesso do mundo estão adotando cada vez mais os planos de gestões compartilhadas. Modelo de negócios que reúne marcas que oferecem soluções específicas capazes de proporcionar a excelência nas operações.

E a melhor forma de terceirizar processos é com sistemas de automação, pois evita o desgaste humano e eleva muito a agilidade do seu negócio. Desde já, liberando tempo para que profissionais possam focar em outros pontos de melhoria da sua empresa.

Os analistas têm também maior segurança na hora de concluir uma venda quando têm dados baseados em estatísticas nas mãos. 

Gostou do que viu? Agende uma apresentação será uma honra para nós atender a sua empresa.

POLITICA DE CREDITOS

Para não perder os próximos conteúdos, aproveita a sua visita ao nosso blog e segue as nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram, YouTube e Linkedin.

Até mais!

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Todo cadastro que entra na sua empresa, precisa de uma validação cadastral. E para isso acontecer de forma eficaz é preciso avaliar a qualidade de cada fonte das informações que chegam, ressaltamos a importância de ter mais de uma fonte.

Para determinar quais serão essas outras fontes, o gestor precisa compreender quais critérios, de acordo com a cultura e operação do negócio, pesam, na hora de selecioná-las. Por isso a validação cadastral é tão importante.

O fato é que, hoje, vivemos na era da informação, em que tudo é registrado e analisado com precisão e agilidade. No mercado empresarial, a lógica é a mesma. As empresas têm um histórico de operações realizadas no mercado, vínculos com instituições de proteção ao crédito e também são fiscalizadas pelo poder público.

Contar com informações advindas dessas fontes, sem dúvida, garante uma maior eficiência e confiabilidade da análise e da tomada de decisão, já que se avalia não só o presente, mas também o passado e, em determinadas situações, até as projeções futuras da empresa e para as vendas aos potenciais clientes.

Pensando nisso elaboramos um material para você entender como a validação cadastral pode ajudar a sua empresa vender mais. Vamos lá?

Monitoramento e o controle das informações e regras

É bastante conveniente ainda realizar um adequado monitoramento e controle das regras de sua política, fazendo simulações com elas, ajustando seu desempenho ao perfil da empresa e cruzando informações.

Tal nível de controle permite avaliar com mais precisão a eficácia da política de concessão de crédito e as possibilidades ou demandas por mudanças. No momento da simulação, é possível até usar diferentes cenários para testar as regras definidas e os pontos fracos e fortes da política estabelecida.

Esse é um cuidado que garante o ajuste contínuo da política de crédito da sua empresa de acordo com a ampliação das atividades, a modificação do perfil dos clientes ou a indicação da economia do país de mais ou menos rigor com as políticas de crédito.

Afinal, em pouco tempo, muitas informações disponíveis, podem mudar na atuação da sua empresa e também no cenário em que ela está inserida, por isso é tão importante manter uma atualização constante das regras e critérios das suas política de crédito.

CTA 02 03 2022

Trabalhe com análise de dados

A adoção de um sistema CRM (Customer Relationship Management) é sempre uma excelente alternativa para garantir a coleta e o processamento de dados relevantes sobre os cadastros dos clientes. Com a integração dessas informações, é possível ter uma visão mais abrangente de toda a operação, mensurar a eficiência de determinadas ações e fazer uma previsão de demanda.

Assim, fica mais fácil perceber tendências e corrigir desvios, o que contribui para o aumento das vendas. Paralelamente, essas análises garantem iniciativas mais eficientes no pós-venda.

O CRM possui algumas funcionalidades bastante úteis para a equipe comercial, como os follow-ups e avisos sobre o momento exato de entrar novamente em contato com o cliente. Desse modo, os índices de produtividade também são impactados, já que rotinas de trabalho são estabelecidas, evitando improvisos e desperdícios de tempo e recursos.

Use a engenharia e a validação de dados a seu favor

A engenharia ou validação de dados é um serviço realizado através de um processo estruturado que interage diretamente com a higienização e validação de dados cadastrais.

O processo de higienização serve para remover dados duplicados, normalizar informações, remover espaços em brancos e deixar a base padronizada.

Porém para este processamento de dados ser efetivo, o plano estruturado precisará tratar telefones, logradouros, duplicidades de números, prefixos e todos os outros dados relacionados a geolocalização, nomes incompletos, entre outros.

Gostou do assunto? Quer implementar este processo de validação cadastral na sua empresa e vender muito mais? Veja abaixo o que preparamos para você entender as suas necessidades e ter o que há de melhor!

22

Para não perder os próximos conteúdos, aproveita a sua visita ao nosso blog e segue as nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram, YouTube e Linkedin.

Até mais!

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Contrair dívidas em seu nome, ou no nome da empresa, é um dos grandes medos de todo brasileiro. Entre os principais prejuízos ocasionados pelo endividamento estão a perda de credibilidade no mercado, a dificuldade em obter financiamentos e fazer parcerias, o estresse e a diminuição da produtividade, entre outros.

Contudo, o endividamento é uma realidade comum entre as empresas quando as finanças não são organizadas de forma eficiente e a economia vive um período longo de crise ou instabilidade.

A seguir, abordaremos um pouco mais esse assunto, mostrando que, mesmo sem dinheiro na conta, a renegociação de dívidas é uma alternativa que pode salvar seu negócio. Vem comigo!

O que é a negociação de dívidas?

Quando uma empresa não tem uma boa organização financeira, as chances de precisar recorrer a empréstimos ou equivalentes, criando dívidas com altas taxas de juros, é muito maior. Em outras palavras, se não for bem planejado, pode se tornar uma dívida ainda maior.

A negociação de dívidas é uma espécie de oferta feita pelas instituições financeiras, principalmente em épocas de crise com taxas de juros mais acessíveis para ajudar pessoas físicas ou jurídicas inadimplentes a quitarem suas dívidas mais rapidamente.

É uma estratégia financeira que pode trazer soluções interessantes, mas que, ainda assim, exige cautela e organização. É essencial que você esteja a par da real situação do seu negócio e garanta que essa nova proposta esteja de acordo.

O descumprimento da nova oferta pode comprometer ainda mais o estado financeiro da sua empresa, por isso a tomada de decisão deve considerar dados e métricas reais.

Qual a importância de negociar suas dívidas?

Quando nossa empresa está endividada e não há como quitar, existe uma tendência de a situação acabar piorando, além de outras dívidas serem contraídas. Isso acontece pois o dinheiro destinado a pagar contas menores fica comprometido, e elas acabam ficando em atraso também.

Empresas também ficam com o nome sujo e, nesse caso, perder a concessão de crédito e o estresse financeiro são algumas das consequências dessa situação. A melhor maneira de evitar que isso aconteça é por meio da negociação de dívidas. Outros benefícios que a negociação pode trazer são:

  • juros menores, descontos em juros e multas;
  • a dívida para de crescer;
  • parcelamento do débito;
  • oportunidade de reorganizar as finanças.

Por isso é tão importante contatar o credor tão logo uma conta passe do seu prazo de pagamento.

Como negociar suas dívidas?

A renegociação de dívidas pode ser um processo complexo. No entanto, há algumas dicas que podem ajudar você nessa tarefa.

Entre as melhores práticas nesse contexto estão: verificar os contratos com os credores; ver o quanto a sua empresa pode pagar; pesquisar opções alternativas; e negociar até chegar a um acordo.

Por isso, preparamos um passo a passo para te ajudar a negociar as suas dívidas. Confira:

1. Organize suas dívidas

Antes de qualquer coisa, é importante organizar todas as suas dívidas. Faça uma lista com os valores atualizados de cada dívida do seu negócio. Em alguns casos, pode ser necessário ligar para os credores para conhecer os valores atualizados.

Outro ponto importante é saber a média de faturamento da sua empresa e dos gastos fixos. Isso vai te ajudar a descobrir quanto do orçamento está disponível para a renegociação de dívidas em face a quanto deve ser pago.

2. Tenha um limite estabelecido

Agora que você já sabe o quanto tem disponível para negociar suas dívidas, estabeleça um valor limite. Isso evita que você comprometa muito do dinheiro disponível e acabe contraindo outras dívidas. Como dissemos no começo deste artigo, imprevistos sempre acontecem. Então, considere-os também na hora de decidir esse limite.

3. Dê prioridade as dívidas mais caras

Pode acontecer de não ser possível realizar acordos para todas as suas dívidas. Dessa forma, o recomendado é que se tente quitar as mais caras primeiro. Essas não são necessariamente aquelas que representam o maior montante em dinheiro. Mas sim as que retêm as maiores taxas de juros.

4. Mantenha contato com seus credores

Esse passo não se trata apenas de fazer a ligação e aceitar o primeiro acordo que lhe for proposto. O momento da negociação é quando você pode obter informações importantes e avaliar se a proposta vale a pena. Portanto, é muito útil fazer perguntas do tipo:

  • Quais serão os juros das parcelas?
  • Qual será o desconto percentual sobre a dívida original?
  • Quanto tempo até o nome da empresa ficar limpo?
  • O desconto é maior em caso de pagamento à vista?

Após procurar entender todos os termos da negociação, se você não estiver satisfeito, solicite a proposta por escrito para avaliar com mais calma. Contudo, não é apenas por telefone que a renegociação de dívidas pode ser realizada. Esse processo também pode ser feito online.

Continue acompanhando o blog da Deps para estar por dentro dos assuntos mais relevantes na gestão empresarial.

Mude as rotinas da sua empresa, converse agora mesmo com um consultor especialista Deps e veja como nós podemos te ajudar.

CTA 02 03 2022

Aproveite também e siga nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagramLinkedIn Youtube.

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

A automação é hoje sinônimo de eficiência e de lucratividade. Desde o início do século XX, quando Henry Ford introduziu a ideia de seriação na linha de montagem nas fábricas, os processos automatizados vêm ganhando espaço e conquistando a confiança dos gestores. Atualmente, a automação é uma prática comum em todos os setores da produção contínua, da indústria petroquímica ao setor fabril.

Basicamente, como veremos, a automação visa tirar máximo partido das inovações tecnológicas, aplicando-as na vida da empresa. Automatizar envolve, assim, o uso das tecnologias adequadas para integrar e melhorar informações e sistemas da empresa, ajudando a controlar os diversos fluxos de trabalho e possibilitando um monitoramento mais preciso e confiável do desempenho.

A automação pode ser implementada em diversas frentes da empresa, uma vez que existem soluções tecnológicas específicas para diferentes setores. É consenso o fato de que a área comercial é o coração de qualquer negócio.

Pensando nisso, no post de hoje, mostraremos as vantagens de implementar a automação da análise e concessão de crédito no seu negócio. Descubra aqui o modo que tanto as grandes até as pequenas empresas, podem otimizar seus processos com o apoio de um método único, que pode fazer a sua empresa vender muito mais, potencializando o sucesso.

Vamos la? 

Compreendendo a automação

Não é exagero afirmar que a automação é algo onipresente em nossas vidas e na gestão das empresas. Quando recebemos uma mensagem em um aplicativo de bate-papo ou quando um funcionário paga um boleto da empresa pela internet, são praticadas ações que preenchem os requisitos básicos de processos automatizados. São eles:

  1. Não há interação humana a intermediar aquilo que resulta na ação concretizada;
  2. Trata-se de algo repetitivo, feito sempre do mesmo modo;
  3. Há o envolvimento de sistemas, ou seja, uma parte abstrata que comanda e processa as ações;
  4. Tudo acontece de forma rápida;
  5. Os riscos de falhas são menores.

A última característica é de extrema importância para perceber o valor da automação nos dias de hoje. De fato, as cartas podem se extraviar com uma frequência muito maior do que aquela comparada à das mensagens de textos que não chegam; uma atendente pode errar o seu troco na farmácia do bairro, mas o seu banco sempre vai deixar na conta o total exato correspondente à subtração do valor do boleto – ou pelo menos, as chances de erros são muito insignificantes.

Agora, imaginamos que uma grande empresa deve escrutinar detalhadamente os seus clientes antes de decidir se irá fazer negócio com eles ou não; se irá conceder-lhes crédito ou se será mais prudente negativar os clientes?

Compreensivelmente, uma transação de alguns milhares (ou milhões) de reais envolve um nível de risco que certamente implica a mobilização de recursos com uma complexidade muito maior do que aquela envolvida em uma mensagem num aplicativo de bate-papo ou no pagamento de um boleto.

Se a empresa decidir fazer “tudo na ponta do lápis”, checar todas fontes, analisar inúmeros dados, certamente irá perder tempo e clientes – e, pior que isso, correrá o sério risco de se tornar um verdadeiro vespeiro da inadimplência.

Podemos afirmar: nos dias de hoje, é praticamente impossível uma empresa do setor da indústria passar sem eles e garantir uma competitividade à altura da concorrência.

Inteligência comercial

A inteligência comercial é um mapeamento da realidade de mercado que a empresa está inserida, considera dados sobre os concorrentes, o cliente e as características do ambiente, para fornecer informações estratégicas importantes.

Esse “mapa do mercado” facilita desde a previsão de vendas até o posicionamento do negócio, permitindo uma atividade comercial mais focada nas ações que podem dar resultado e, consequentemente, aumentando a produtividade com impacto na diminuição do ciclo de vendas.

Automação para diminuir o ciclo de vendas

Atualmente poucas iniciativas permitem aumentar a produtividade na área comercial e, consequentemente as vendas, do que a automatização dos processos comerciais. Ferramentas de CRM e aplicativos diversos possibilitam ganhos significativos em todo o processo e, obviamente, há reflexo no prazo do ciclo de vendas.

A utilização dessas ferramentas mais corriqueiras para encurtar prazos é uma das primeiras iniciativas a serem cogitadas, mas as que automatizam a análise de crédito nem sempre são lembradas — talvez por ser considerada uma atribuição do financeiro.

A definição prévia de critérios de concessão permite a aprovação automática de clientes pessoa jurídica, e a geração de diagnóstico de análise facilita a tomada de decisão nos processos manuais, aumentando aa eficiência.

O acompanhamento de informações permite indicar em quais clientes focar as vendas, evitando o retrabalho da equipe comercial. Isso é possível com a criação de históricos e com uma estrutura reduzida de pessoas, além do sistema operando automaticamente mais de 50% do processo de crédito.

Sua empresa optando por nossa plataforma de automação, vai consequentemente diminuir o ciclo de vendas que, esperamos, agora esteja lhe parecendo um objetivo mais fácil de atingir.

Paralelamente a todos os pontos mencionados, observar e corrigir pequenas falhas do processo comercial vai ser determinante na elaboração de um modelo ágil.

Segurança, economia e rapidez

A informação que encerrou o tópico anterior pode também parecer que contém certo exagero. Mas vamos mostrar que não.

A concessão de crédito é sempre uma questão delicada, que deve ser avaliada por toda empresa; no setor de processos industriais, pela própria dimensão do volume de vendas envolvido, essa preocupação é maior.

CTA horizontal 1

De fato, é necessário considerar as características de um grande volume de clientes e averiguar se eles apresentam condições de quitar as dívidas, analisando seu faturamento, histórico de crédito e restrições nos órgãos de proteção ao crédito, entre outras informações. Uma política de crédito ausente ou mal gerida pode implicar prejuízos irreparáveis e, em último caso, resultar na própria falência do negócio.

No setor industrial, a constante e frenética evolução resultou em um mercado cada vez mais competitivo, com margens de lucro mais baixas. Os processos industriais foram respondendo a isso e no setor fabril tarefas que eram antes realizadas por pessoas ou por sistemas eletromecânicos hoje são levadas a cabo por sistemas de inteligência artificial.

Como dissemos, esses processos diminuem os riscos de falha, padronizam procedimentos e fazem mais em menos tempo. Menos falhas, mais qualidade e menos tempo significam, logicamente, mais retorno financeiro.

No momento de escoar a produção, ou seja, no momento de liberar os pedidos de vendas, a automação também pode se fazer presente nos processos e liberações através da gestão de crédito inteligente.

Com a plataforma Deps, as transações da sua empresa ganham celeridade e a aprovação de clientes novos é feita de modo seguro, diminuindo a gestão de risco do seu negócio. A plataforma é capaz de consultar e processar uma fontes de dados gigantescas e, a partir disso, apontar caminhos decisórios mais seguros e responsáveis. Com os resultados de tais dados, a empresa pode, inclusive, direcionar o departamento comercial a decidir em quais clientes deverá focar.

O padrão obtido na concessão de crédito é outra vantagem que merece destaque. Empresas grandes, com alto fluxo de vendas, podem acabar concedendo crédito a clientes inadimplentes, ou a se negar fazer negócios com os bons pagadores.

A plataforma inteligente, por outro lado, padroniza as decisões, permitindo que a empresa tenha em mãos uma análise clara do perfil da sua cartela de clientes. Isso também libera a sua mão de obra humana para outras funções dentro da empresa, uma vez que até 85% dos processos podem ser feito de forma independente e automatizada por nossa plataforma.

Como vimos, nos dias de hoje, é tarefa impossível manter-se competitiva e garantir lucros sem uma política de concessão de crédito definida e sem um software para geri-la adequadamente.

Então, deseja ter esses recursos na sua empresa e aprimorar a sua gestão de crédito e VENDER MAIS? 

22

Para não perder os próximos conteúdos, aproveita a sua visita ao nosso blog e segue as nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram, YouTube e Linkedin.

Até mais!

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Toda empresa que deseja avançar para o próximo nível precisa implementar uma política de crédito de qualidade para ajudar a incentivar e pavimentar o caminho para o crescimento.

Porém, construir uma política dessas não é uma tarefa fácil, nem acontece da noite pro dia. São muitos fatores a se considerar: será que os clientes serão inadimplentes? Como garantir que sua empresa conseguirá atrair novos negócios e não sair no prejuízo ao conceder crédito no mercado?

É sobre isso que falaremos no artigo de hoje.

Confira agora as 5 dicas que preparamos para você desenvolver sua própria política de crédito:

1. Faça um levantamento de dados

Não existe um “Manual da boa Política de Crédito” que pode ser seguido à risca como uma receita de bolo por todas as empresas. Todavia, o que existe é um conhecimento comum de que uma boa política de créditos é construída sobre um levantamento completo de dados.

Imagine que a sua política de créditos é como a construção de uma casa. Sem uma boa planta, desenhada por bons arquitetos, o projeto não vai ficar de pé.

Nesse contexto, um bom levantamento de dados é o que dará condições para que uma boa política de crédito seja concebida e estabelecida na sua empresa.

2. Utilize os 5 Cs do Crédito na sua política

Podemos entender uma política de crédito para clientes como uma espécie de investimento feito por uma empresa.

Afinal, a companhia pega os recursos utilizados na produção do seu produto e os investe no mercado na esperança de atrair compradores que, em outro caso, não estariam dispostos a adquirir esse produto.

Como todo investimento, a política de crédito reúne um pouco de risco, claro. Afinal, a empresa está investindo seu produto no mercado para facilitar a aquisição de novos clientes e pavimentar seu crescimento.

Uma das melhores regras para ajudar a avaliar o risco de um cliente e servir como base para a sua política de crédito é a regra dos cinco Cs. Confira quais são:

  1. Caráter: avaliação da intenção da empresa de cumprir ou não com o compromisso firmado com a sua companhia;
  2. Capacidade: a condição do cliente de produzir o dinheiro necessário para cumprir o compromisso;
  3. Capital: a atual saúde financeira do cliente;
  4. Condições: a situação macroeconômica do país e suas variáveis que podem afetar a empresa;
  5. Colateral: o nível de engajamento do cliente em outras dívidas.

3. Monte um manual que sirva de base

CTA horizontal 6

O próximo passo para montar uma boa política de crédito é colocá-la no papel.

Assim, ela servirá de guia para todos os funcionários da sua empresa, mesmo aqueles de filiais distantes ou que não participaram do projeto de montagem da política.

Esse “manual” serve para garantir que a política será bem aplicada em todos os negócios que a sua empresa fizer, garantindo uma postura uniforme e previsível nos resultados que serão obtidos.

4. Implemente sua política de crédito

Com base em todos os dados levantados na construção de um filtro de candidatos — formado pela regra dos cinco Cs — e com todo o material de apoio necessário para esse projeto, passe a implementar sua política de crédito por algum tempo na sua empresa.

Deixe a política funcionando por tempo o suficiente para coletar dados de aceitação da proposta, funcionamento e taxa de inadimplência registrada. Contudo, essas informações serão essenciais para nossa próxima dica.

5. Analise seus resultados e ajuste de acordo

Como dissemos acima, a base do sucesso de uma boa política de crédito está na quantidade e qualidade das informações disponíveis para construí-la. Ou seja, quanto mais dados, melhor será sua política.

Portanto, é ingenuidade acreditar que esse trabalho é feito apenas uma vez e nunca revisado. Uma boa política de crédito deve ser revisada periodicamente para que problemas sejam identificados e consertados.

22

Assim, chegamos à conclusão de como montar uma boa política de crédito para a sua empresa: levante dados, construa filtros com base nas suas informações, garanta a execução uniforme da sua política e analise os resultados, corrigindo o que for necessário.

Com a Deps Tecnologia, você consolida uma gestão de crédito automatizada e, com o nosso time de Customer Success (Sucesso do Cliente) conta com o apoio de especialistas que vão ajudar você a aproveitar todos os recursos da nossa ferramenta.

Compartilhe também, esta importante informação em suas redes sociais e ajude a informar outras empresas sobre os principais pontos relacionados à segurança de dados e regulamentações necessárias com a vigência da LGPD!

Deps fornece a ferramenta ao mesmo tempo em que oferece todo o suporte de que a sua empresa precisa nessa área.

Continue acompanhando o blog da Deps para estar por dentro dos assuntos mais relevantes na gestão empresarial.

Mude as rotinas da sua empresa, converse agora mesmo com um consultor especialista Deps e veja como nós podemos te ajudar.

CTA 02 03 2022

Aproveite também e siga nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagramLinkedIn Youtube.

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Veja como melhorar o score de CNPJ da sua empresa

Acredito que você já deve ter ouvido falar no score de CNPJ, certo? Ele é bem parecido com o score de crédito para pessoa física e analisa as chances de uma empresa ficar inadimplente ao solicitar empréstimos ou realizar compras.

Todo dono ou gestor de empresa precisa entender esse sistema de pontuação, afinal, ele possibilita a obtenção de crédito de forma mais facilitada e também agrega segurança para o negócio.

Quer saber mais sobre o assunto e entender como funciona score de CNPJ? Então, confira o texto que preparamos para você!

Como funciona o score de CNPJ

O score de CNPJ nada mais é do que uma pontuação que vai de 0 a 1000 e avalia as chances de uma empresa arcar com seus compromissos, ou seja, de pagar suas contas em dia. Essa estratégia de pontos já é utilizada em diversos países a bastante tempo e se resume em: quanto maior a pontuação, mais segura será a transação.

Para isso são analisados os hábitos financeiros das empresas, que vão formar a base do Cadastro Positivo. Desde julho de 2019, todos que realizam compras a prazo, tenham empréstimos, financiamentos ou despesas como água e luz, são incluídos automaticamente nesse cadastro. A partir da análise desses dados, os birôs de crédito estipulam o score.

Para que o score de CNPJ é utilizado?

Considerar o score do CNPJ de seus clientes é uma atitude fundamental para uma negociação segura. Ao analisar essa informação, você pode fazer uma avaliação de risco para adequar o contrato e a capacidade de pagamento deles. Sendo assim, você minimiza os riscos de fraude e reduz a inadimplência ao vender um produto ou serviço com pagamento parcelado, por exemplo.

Além disso, essa pontuação é significativa para obter empréstimos e financiamentos para a sua empresa. Ter um score alto pode facilitar esse processo e ainda possibilita condições especiais de crédito. Contudo, vale a pena destacar que,

embora o score seja um fator relevante, a decisão de oferecer crédito varia de acordo com os critérios de cada instituição.

Ao ter um bom relacionamento com o mercado e conseguir melhores ofertas de crédito, como juros baixos, você pode garantir a saúde financeira do negócio, investir em melhorias e conquistar um diferencial competitivo.

Quais as classificações do score?

As classificações de score são válidas tanto para pessoas físicas quanto jurídicas e cada uma delas possibilita acesso diferenciado a créditos no mercado. Veja abaixo como isso funciona:

  • pontuação de 0 a 100 — dificuldade de obter crédito no mercado;
  • pontuação de 101 a 250 — acesso moderado às melhores condições de crédito;
  • pontuação de 251 a 550 — acesso a boas condições de crédito;
  • pontuação de 551 a 1000 — acesso a condições especiais de crédito.

O score de CNPJ é um fator significativo para transações comerciais mais seguras, por isso, ele é utilizado por muitas empresas e instituições financeiras para liberação de crédito e para pagamentos parcelados.

Diante disso, é importante monitorar o seu score e ter um bom relacionamento com o mercado para que a sua pontuação seja elevada e para que você consiga condições vantajosas para empréstimos, financiamentos e compras a prazo.

4 dicas para aumentar o score da sua empresa

Como você percebeu, é fundamental manter um bom score para a sua empresa. Assim, quando necessitar de algum produto financeiro ou for realizar compras a prazo você obterá melhores condições.

Não existe um método ou receita pronta que vai melhorar a sua pontuação, mas um conjunto de boas práticas, que você pode começar a aplicar agora.

Lembre-se: Não há como aumentar seu score por meio de pagamentos. Fique alerta porque muitos golpistas vendem cursos, consultorias e materiais que dizem o contrário.

1. Manter seu Cadastro Positivo ativo

Como falamos no início deste artigo, o Cadastro Positivo funciona como um histórico do comportamento financeiro da sua empresa. Ali estão descritos se você pegou empréstimos, se estão quitados, se o pagamento foi em dia, se tem alguma parcela atrasada em nome do seu negócio, entre tantas outras informações.

Antes dele, o que mais pesava no cálculo do score era o fato da sua empresa ter ou não dívidas negativadas. Agora, todo o seu histórico conta! Assim, quando você mantém seu Cadastro Positivo ativo nos birôs de crédito, você permite que o mercado tenha ainda mais informações sobre você, o que propicia uma análise mais assertiva e justa do seu perfil.

2. Atualizar seus dados nos birôs de crédito

Manter os seus dados cadastrais atualizados nos birôs de crédito também ajuda a aumentar a sua pontuação. Isso porque quanto mais as empresas sabem sobre você, mais confiança elas podem ter para te oferecer crédito. A ideia é oferecer sempre transparência, para que as instituições saibam que conseguirão entrar em contato com você sempre que for necessário.

3. Não atrasar suas contas

Esse comportamento é um dos mais importantes se você precisa aumentar seu score de CNPJ. Afinal, ele é um reflexo da vida financeira do seu negócio. Os benefícios deste hábito vão muito além do score, acabam melhorando toda a organização das finanças da sua empresa. Quando você paga tudo em dia, você deixa de arcar com juros, multas, taxas que encarecem seus custos operacionais.

4. Regularizar dívidas atrasadas e negativadas

Assim como contas atrasadas, as negativadas também prejudicam muito o score da sua empresa. Portanto, se você está com dívidas atrasadas e negativadas, é importante regularizar essa situação o mais rápido possível.

Caso você venha a solicitar um empréstimo para regularizar essa situação, fique atento aos juros e ao valor das parcelas. Elas precisam estar de acordo com o que você pode pagar, para poder pagar em dia.

Ter um bom score de CNPJ é muito vantajoso para sua empresa, como você viu ao longo deste texto. Além de facilitar o acesso ao crédito, isso vai demonstrar ao mercado uma boa imagem do seu negócio, facilitando acordos com atuais e futuros parceiros.

Continue acompanhando o blog da Deps para estar por dentro dos assuntos mais relevantes na gestão empresarial.

Mude as rotinas da sua empresa, converse agora mesmo com um consultor especialista Deps e veja como nós podemos te ajudar.

CTA 02 03 2022

Aproveite também e siga nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagramLinkedIn Youtube.

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Um dos maiores desafios que as empresas vêm enfrentando atualmente, principalmente as empresas do varejo é a inadimplência. Na sua grande maioria não estão preparadas para lidar com a inadimplência e devido a isso estão tendo prejuízos incontroláveis.

Desenvolver um meio de defesa e proteção pode ser um dos caminhos para reduzir este impacto no caixa da empresa. E o segredo para amenizar está na concessão de credito, uma gestão de credito bem feita evita que o cliente possa se tornar inadimplente.

Toda inadimplência deve ser tratada com zelo, pois ter grandes volumes de inadimplência pode levar a empresa a danos irreversíveis.

Orientamos que seja feito um planejamento adequado, contar com uma solução que possa gerir sua carteira de cliente, pode economizar muito tempo e pode tornar a sua empresa muito mais produtiva.

Criar regras de cobranças eficazes no fluxo de recebimento, são medidas a serem tomadas para evitar ao máximo possíveis perdas. É obvio que a empresa não irá ter 0% de inadimplência em sua carteira, porém, tomar precauções e estar sempre um passo à frente para prevenir e reduzir a inadimplência é de extrema importância.

Neste artigo preparamos algumas boas práticas para você aplicar na sua empresa.

Como entender e considerar os efeitos da inadimplência no caixa da empresa?

Entender e saber provisionar as probabilidades de uma possível falta de recebimentos das vendas realizadas, proporciona controle financeiro e estabilidade para a empresa.

Todas as empresas estão sujeitas a um % de não recebimento por parte dos negócios fechados. E para calcular estes impactos da falta de pagamento por suas vendas preparamos um passo a passo.

O primeiro passo é analisar a origem e a consequência da inadimplência no seu fluxo de caixa. Sua empresa tinha uma entrada de caixa provisionada para um determinado dia e ela não ocorreu.

Sendo assim os pagamentos previstos para este mesmo dia não poderão contar com estes valores que não foram recebidos.

Se o recebimento vier a não correr, o efeito disso no caixa torna-se uma “bola de neve”, vira um círculo e será para sempre e, na prática, o lucro do negócio reduzirá no mesmo valor que não foi recebido.

Porém, se for apenas um atraso, o efeito no fluxo de caixa será temporário. O que significa que poderá gerar custos, só que neste ponto, para financiar o caixa durante o atraso daquele momento.

O que os atrasos podem gerar?

Se seus clientes atrasarem os pagamentos para sua empresa, você poderá precisar de um capital de giro para conseguir pagar suas despesas provisionadas para o período.

E quando sua empresa receber dos clientes em atraso, o financiamento pode ser quitado, porém seu negócio terá um custo dos juros sobre o financiamento, porém se uma capitação de recursos como esta não for bem planejada, pode tornar o problema de recursos financeiros, ainda maior.

Sua empresa pode medir o grau de inadimplência calculando as probabilidades de não receber pelas vendas realizadas em certo período por exemplo.

Para isso você precisa somar os valores dos últimos seis meses de todas as vendas realizadas e não recebidas e dividir pelos resultados do total das vendas realizadas sendo elas recebidas ou não, do mesmo período que você quer analisar.

Nesta soma, multiplique por cem e terá o índice em percentual de inadimplência da sua empresa.

A Deps preparou um material completo sobre como você pode desenvolver uma régua de cobrança e controlar de forma eficaz e efetiva a sua carteira de clientes.

Qual a relação entre a saúde financeira da empresa e a inadimplência?

A crise econômica que estamos vivendo e a retração do consumo são algumas das principais causas desses problemas.

cta analise de credito 003

E qual o impacto na saúde financeira da empresa?    

Apesar da turbulência e desafios que atingem o mercado, muitas empresas contraem dívidas com as quais não estão preparados para lidar. Por consequência, afeta todos os envolvidos do ciclo, desde os fornecedores aos clientes do negócio.

E a solução deste problema está no planejamento, em especial nas estratégias utilizadas para o gerenciamento de contenção de imprevistos e sobre os riscos que cada cliente apresenta para o negócio.

Isso faz com que os gestores acabem tendo de tomar atitudes mais rígidas, caso os problemas venham a se tornar graves. Por esta razão, a primeira atitude deve ser a criação de políticas internas mais firmes com relação a clientes em atraso, bem como um controle de fluxo comercial mais assertivo.

Existe uma série de fatores trazidos pela inadimplência e não forem resolvidos com tempo, podem levar o negócio a fechar as portas. Por isso é de extrema importância estar atento para reduzir os impactos e efeitos negativos que podem vir a ocorrer.

Inviabilidade do processo de fidelização do cliente

A inadimplência se não for tratada, afeta todo o ciclo comercial da carteira de clientes. Os clientes que são atingidos, passam a consumir menos e a optar por pagarem pelas dívidas renegociadas.

Com isso a empresa sentirá os impactos no processo de captação de novos clientes, deixando de lado a fidelização. É importante a empresa ter uma política de negociação que apoie o cliente a se reerguer, entender a real situação do cliente em um processo de resgate é primordial.

O cliente que não tem como quitar suas dívidas ou não consegue ver uma luz por onde pode resolver, o mesmo começa a acumular juros, não só deixa de comprar como pode até procurar outro fornecedor.

Por isso, para ajudar a sua empresa a diminuir estes efeitos, o primeiro passo é ligar para o cliente de uma forma amigável e entender o que causou o não pagamento do débito,  junto com ele sua equipe pode ajudar a fazer uma renegociação que caiba no fluxo de caixa do seu cliente no momento.

Diante disso, para minimizar esses efeitos, uma das primeiras ações da sua empresa deve ser entender o que causou o não pagamento do débito.

Demonstre Proatividade

Começar conhecendo o problema do cliente e demonstrar pró atividade para apoiá-lo a solucionar o atraso, faça de uma forma que o cliente se sinta confortável e não se sinta constrangido com as cobranças, é a melhor opção para ele acertar com você.

Isso faz que ele sinta mais confiança na sua empresa, consiga negociar as dívidas e volte a fazer novos negócios em breve.

Continue acompanhando o blog da Deps para estar por dentro dos assuntos mais relevantes na gestão empresarial.

Mude as rotinas da sua empresa, converse agora mesmo com um consultor especialista Deps e veja como nós podemos te ajudar.

CTA 02 03 2022

Aproveite também e siga nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagramLinkedIn Youtube.

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Solicite aqui o seu orçamento!

Fazer Orcamento rodape
Aceite

Ao enviar este formulário, você estará consentindo e autorizando-nos a encaminhar ofertas, promoções e notícias sobre a Deps, mantendo informações em nosso banco de dados. Aplicamos rigorosamente a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) em nossa comunicaçã

Preencha o formulário para entramos em contato com você
Mais soluções Deps no meu negócio
Aceite

Entrar em contato

WhatsApp

WhatsApp

Solicitar orçamento via popup

Aceite