/
/
Gestão de risco de crédito: veja como fazer!

Gestão de risco de crédito: veja como fazer!

A inadimplência dos clientes é um fator nocivo para as empresas de crédito. Essa situação prejudica o fluxo de caixa e causa impactos na continuidade das operações. Afinal, o administrador não poderá contar com o valor que fora previamente combinado com o cliente. A venda parcelada é uma forma de viabilizar a compra de muitos consumidores, contudo, essa prática está suscetível a riscos.

Diante desse cenário, existem medidas de gestão do risco de crédito que auxiliam a equipe a prever as chances de o cliente não honrar com o compromisso assumido e descumprir o acordo de pagamento até a última parcela. Trata-se de uma alternativa para atender aos critérios regulatórios de risco de crédito e evitar dívidas.

Quer saber como proteger o seu negócio contra ameaças do mercado?

Neste post, você vai entender como fazer a gestão de risco de crédito na indústria 4.0 e a importância desse procedimento.

Boa leitura!

O que é risco de crédito?

O risco de crédito é a possibilidade de ocorrência de perdas e prejuízos financeiros em decorrência da incapacidade do cliente de cumprir com o pagamento que ele assumiu em outro momento. Sendo assim, trata-se das chances de o cliente faltar com os pagamentos de qualquer modalidade de dívida assumida.

image 1

 A inadimplência do consumidor pode ocorrer por diversas razões, como a perda do emprego que inviabiliza honrar com prestações posteriores, alterações na economia, surgimento de situações extraordinárias e inesperadas que tornem impossível o cumprimento da obrigação etc. Apesar de os riscos de inadimplência estarem presentes em todos os tipos de transações financeiras, é uma situação excepcional e que causa impactos negativos para a instituição.

O que significa a gestão de risco de crédito? 

A gestão de risco de crédito é a estratégia que visa reduzir as perdas da empresa, causadas pela inadimplência do consumidor. Essa técnica consiste no gerenciamento do capital e das reservas financeiras da empresa para que seja possível lidar com as perdas e evitar prejuízos que poderiam comprometer a continuidade das atividades da organização.

Nesse sentido, a gestão de risco de crédito se refere ao modo como a empresa faz a previsão e lida com o descumprimento dos contratos, além de definir as consequências desse fato e as ações que devem ser colocadas em prática para reduzir os eventuais danos causados. Essa metodologia deve atender às normas regulatórias estabelecidas pelos órgãos competentes, bem como conhecimentos adequados sobre o cliente e os riscos de crédito inerentes a ele.

Como fazer a gestão de riscos de crédito na indústria 4.0?

Confira, a seguir, algumas práticas que garantem uma boa gestão de risco de crédito para as instituições financeiras.

CTA 7NV 02 1024x295 1

Cadastro de clientes

Todo cliente deve ter um cadastro na empresa contendo suas informações pessoais e financeiras, além do histórico de compras. Isso ajuda a conhecer melhor o perfil e o comportamento dele.

Classifique o perfil dos clientes

A classificação do perfil financeiro do cliente envolve a análise de diversos fatores, como o histórico e a reputação no mercado. Desse modo, é possível consultar o sistema e tomar conhecimento de eventual pendência de dívidas e atrasos nos pagamentos.

Logo, temos um cliente com um alto perfil de risco e que apresenta mais chances de não honrar as prestações assumidas. O agente financeiro será responsável por analisar cada caso individualmente.

Análise da capacidade de crédito

É importante definir os limites de crédito que serão concedidos para o cliente. Essa tarefa requer uma análise criteriosa e consciente sobre o perfil dele. A determinação de um limite seguro de crédito pressupõe a capacidade de pagamento do indivíduo.

Não deve ser autorizado um limite alto, caso existam dúvidas sobre a possibilidade de cumprimento da obrigação assumida. Desse modo, evita-se a liberação de um crédito excessivamente acima do valor que o cliente pode pagar.

Conheça os 5 “C” do crédito

A gestão de risco de crédito está fundamentada em 5 elementos principais. Esses fatores permitem conhecer mais sobre o perfil do consumidor e ajudam operadores financeiros na tomada de decisões sobre a liberação ou não do crédito. Confira mais detalhes sobre eles:

  • caráter: se refere à reputação do indivíduo no mercado, levando em consideração o histórico financeiro e as transações anteriores;
  • capacidade: é a aptidão para honrar o pagamento das dívidas assumidas;
  • capital: é o dinheiro, o patrimônio líquido do cliente;
  • colateral: se refere às garantias que costumam ser oferecidas no momento da operação, como imóveis e ativos do mercado financeiro;
  • condições: envolve a atual situação financeira do cliente, suas perspectivas e chances futuras de crescimento.

Automatize a análise de crédito

A tecnologia pode ser uma excelente aliada na tarefa de análise de risco de crédito. Existem vários softwares no mercado que prometem desempenhar essa função. Nesse sentido, a gestão automatizada coleta e cruza todos os dados financeiros do cliente: histórico de transações financeiras, pesquisa por dívidas e atrasos no pagamento, e a reputação geral do cliente no mercado em bancos de dados públicos e privados. Tudo é feito com muito mais segurança e agilidade.

Com todas as informações obtidas por meio das ferramentas tecnológicas, as equipes que fazem parte da empresa (Tecnologia da Informação, vendas, recursos humanos, financeiro, jurídico etc) têm a capacidade de trabalhar com dados precisos e com maior margem de segurança.

Trata-se, ainda, de uma maneira de automatizar os fluxos internos de trabalho de análise de crédito, fato que influencia na tomada de decisões mais assertivas e embasadas, pois levam em consideração as informações obtidas.

A escolha de uma boa solução tecnológica será essencial para que seja possível efetivar uma gestão de risco de crédito adequada para a empresa. Esse procedimento traz estabilidade, segurança e regularidade financeira, e propicia o fechamento de transações comerciais vantajosas.

Portanto, comece a planejar o investimento em uma ferramenta automatizada e eficiente para agilizar as operações financeiras do negócio e reduzir os riscos de prejuízos. Não perca tempo e coloque essas estratégias em prática o quanto antes.

Gostou do assunto? Veja abaixo o que preparamos para você entender as suas necessidades do seu negócio, entre em contato, esperamos por você!

cta 2 consultoria gratuita

Para não perder os próximos conteúdos, aproveita a sua visita ao nosso blog e segue as nossas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram, YouTube e Linkedin.

Até mais!

Simone Silvano

Deps – Além da análise de crédito

Compartilhar:

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter

Preencha o formulário que
entramos em contato com você.

DPO: Simone Silvano